A POESIA É UMA PULGA

 
 



A Poesia não é só para gente séria e grande. É divertida e para todas as idades! Saltitando de poema em poema, as palavras rapidamente se transformam em brinquedos, com diferentes formas e significados, levando-nos à descoberta de inúmeros poetas lusófonos e estrangeiros.


Recital pensado para todos os espaços, da sala de aula ao teatro.


Aos poetas habitualmente contemplados nos programas de leitura, André Gago associa outros, numa viagem pessoal construída segundo os públicos a que cada sessão se destina.

 

poesia para todas as idades

Para os mais novos,

A Poesia é Uma Pulga — o título de um poema de Sylvia Orthof dá o mote para uma abordagem lúdica da palavra: a palavra como brinquedo, polimórfica, portadora de inesperados sentidos, álacre e sedenta.


Para os mais velhos,, Poemas em Carne e Osso, significando a ligação entre a palavra e a oralidade, entre o sentido poético e a experiência vivida ou pressentida.


Alexandre O’Neill, Alice Vieira, Almada Negreiros, António Gedeão, António Nobre, António Torrado,  Ary dos Santos,  Bocage, Carlos de Oliveira, Carlos Drummond de Andrade, Cecília Meireles, Cesário Verde, David Mourão Ferreira, Edgar Allan Poe, Eugénio de Andrade, Fernando Pessoa, Fernando Sylvan, Florbela Espanca, Gil Vicente, Gomes Leal, Herberto Helder, João Cabral de Melo Neto, Jorge de Sena, José Craveirinha,  José Fanha, José Gomes Ferreira, José Jorge Letria, José Régio, Luis Infante, Luísa Costa Gomes, Luiz Vaz de Camões, Manuel Alegre, Manuel António Pina, Manuel Bandeira, Maria Alberta Menéres, Mário Cesariny, Miguel Torga, Mutimati, Natália Correia, Rosa Lobato de Faria, Ruy Belo, Ruy Cinatti, Sophia de Mello Breyner Andresen, Vasco Graça Moura, Vinicius de Moraes...  


Fotos: Maria B. G., Ana Filipa Flores e Mário Abreu